Pular para o conteúdo principal

Revisão linguística

A diferença fundamental entre a palavra escrita e falada é a possibilidade de se fazer a revisão linguística do texto.

Não se faz revisão no que se diz. No entanto, o texto pode ser revisado infinitamente, sempre há o que melhorar. Muitos escritores talentosos não conseguem despontar porque não têm compreensão da necessidade de  contratar a revisão do texto; sem a revisão, a escrita não é garantidamente um texto, ela pode se limitar a ser um discurso no papel. Muitos mestrandos e doutorandos enfrentam problemas com a banca porque resolvem economizar com a revisão: seja não fazendo nenhuma, seja contratando algum amador ou conseguindo o serviço como favor de algum conhecido.
O bloco completo de textos deve ser revisado, não apenas a superfície.
Os textos, não importa o tamanho que
eles tenham, são revisados em bloco.
Não resolve muito uma revisão que
se limite à superfície.
A revisão linguística bem feita por um profissional representa investimento seguro em termos de qualidade e credibilidade que, a longo prazo, dá seus frutos. É por isso que nossos revisores são profissionais capazes de lidar com eficiência no difícil trabalho de revisão de textos científicos.
A revisão é uma das fases mais importantes do trabalho, porque ela permite ao leitor entender mais rapidamente, aplicando seu tempo em algo que faz sentido. Se a ideia é boa, a revisão permite que o leitor tire o melhor do texto.

A importância da revisão linguística

Revisão, literalmente, significa “ver de novo” mas é melhor compreendê-la como: “ver de outra maneira” ou “ver com outros olhos”. A revisão não é a correção de erros simples, mas modificação profunda e até mesmo estrutural da primeira (ou da última!) versão de um texto. Revisão não o que se faz já no primeiro rascunho, quando apagamos uma palavra, trocamos um verbo, substituímos um adjetivo: chamamos esse trabalho do autor em seus rascunhos de reescritura, ou mesmo, quando o texto já avançou mais, pode se tratar de uma autorrevisão. Revisão profissional, feita por linguista – alguém com distanciamento do texto, vai considerar a grande ideia do trabalho e, em alguns casos, propor mudanças importantes e que perpassam o texto longitudinalmente.
Quando um autor iniciante completa seu primeiro rascunho, está convencido de que o trabalho está acabado. Um escritor profissional considera o primeiro rascunho o ponto de partida para processos de revisão subsequentes que levarão à versão final. Por esta razão, muitos ignoram o trabalho que sustenta um texto claro, legível e eficaz, acreditando que é apenas devido ao talento do escritor e não um trabalho contínuo de mudança em que há a colaboração de profissionais de língua e de edição.
Poucas pessoas sabem como escrever um primeiro rascunho eficaz. Geralmente, essa habilidade vai melhorar com a experiência e se aplica exclusiva e particularmente a textos curtos. Para textos longos, por outro lado, mesmo os autores mais talentosos e experientes precisam contratar revisão profissional.
Ao se contratar o revisor profissional, ele contribuirá para que se obtenha um texto melhor, com ganhos em termos de: precisão, brevidade, concisão, clareza, credibilidade, concretude, completude. A revisão por um linguista experiente é a melhor maneira de transformar a primeira versão de qualquer trabalho em um texto útil para objetivos funcionais e mais legível para os destinatários que se tem como alvo. A revisão feita pelo profissional também é uma maneira de se aprender a escrever melhor, porque obriga o autor a ler com cuidado, para ser crítico, atento e concentrado, ao verificar a compreensão dos conceitos importantes que o revisor teve.
Normalmente, quem escreve ocasionalmente, para na primeira versão, muito espontânea e criativa. Mas se você realmente quiser escrever bem isto não é suficiente. Parar no primeiro rascunho é arriscado.
A distância que separa um manuscrito da gaveta do autor da prateleira da biblioteca pode ser curta ou longa, no tempo e no espaço, com uma série inumerável de causas para isso, mas a qualidade do texto é primordial para esse transcurso. Do mesmo modo, a distância entre a tese que está no HD do doutorando e a impressão e defesa perante a banca pode ser percorrida de modo suave ou com muitos percalços de edição.
Alguns itens podem fazer a diferença entre um manuscrito digno de ser levado em conta e um texto inacabado: falhas de conteúdo e inconsistência gramatical básica, apresentação pobre do corpo de texto, layout antiquado ou sobrecarregado, confusão na interpretação das normas, carência de índices, listagens e falhas de numeração, paginação... Eliminar essas falhas pode significar avançar positivamente, possibilitando esperar realisticamente que o projeto acadêmico ou literário tenha o sucesso desejado, a aprovação com louvor e possível publicação.

Para o sucesso de um trabalho escrito é necessário:

Revisão linguística dos textos

Mesmo o autor mais confiante deve contratar um revisor profissional antes do envio de uma tese para defesa ou de submeter seu original ao editor, visando publicação; só assim se podem detectar defeitos imperceptíveis a seus olhos. Somente o revisor profissional é capaz da leitura atenta das imperfeições, suprimindo as falhas naturais da redação de um trabalho longo. Lembre-se: os problemas formais afetarão negativamente o potencial expressivo do conteúdo.

Paginação e layout: formatação e normalização

Como primeiro requisito, um texto deve ser legível. A paginação e composição adequada já é um incentivo para o leitor e um indicador de profissionalismo. Aqui você deve fazer uma distinção importante: qualquer tipo de texto tem seus critérios. Uma tese tem um formato canônico de margens, a hierarquia dos tópicos, índice, notas de pé de página. Um e-book ou um manual precisa um forte apelo visual, que captura a atenção sobre os pontos-chave: nós trabalharemos em tabelas, seções, imagens e visualizações – nossa formatação inclui aspectos gráficos de que o autor não faz ideia, proporcionando um acabamento normativamente perfeito e moderno, completamente adequado às normas da ABNT, Vancouver, APA ou segundo o manual de normas da instituição a que o texto se destine.

Revisão para a Web

Um site é como uma vitrine de loja, ou a capa de um livro: deve ser capaz de captar a atenção apresentar a empresa ou o serviço, as atividades que promoverá. A revisão do texto para a Web tem que estar integrada ao projeto do site e à programação visual. 

Revisão de tese e dissertação

A fase mais importante de sua carreira acadêmica: uma tese bem elaborada não é apenas uma premissa indispensável para boa nota, mas pode se tornar sua futura publicação científica. 
Especificamente, nossos serviços de revisão acadêmica incluem:
  • Correção ortográfica e gramatical completas;
  • Supressão de erros de digitação, inconsistências, omissões e incoerências;
  • Padronização e normalização do texto com programação visual moderna;
  • Verificação do correto uso de notas e referências;
  • Correção integrada da bibliografia e websites.

Os mais de quinze anos de experiência em colaboração com alunos e professores da algumas das mais importantes instituições de pós-graduação nos permitem oferecer um serviço de alta qualidade, pronto para colaborar na produção de um texto perto de perfeito do ponto de vista formal e caracterizado por composição gráfica equilibrada e correta.

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela de preços de revisão de tese ou dissertação

Cálculo dos preços para revisão e formatação de textos acadêmicos. Tema espinhoso para o revisor e para os autores: taxas, preços, pagar por lauda, remuneração justa… Infelizmente, não existe preço padrão – como não existe serviço estandardizado, há excelentes revisores de textos na praça, e outros não tão bons; mas existem tendências que podem tornar-se prática e sobre as quais vamos comentar.
Assim como como em serviços de tradução, geralmente, o preço da revisão é calculado por lauda. Para alguns, este termo – lauda – indica um texto de 1200 a 2200 caracteres, como muitos editores, revisores, tradutores e agentes literários, nós entendemos por lauda um texto de 1500 caractere com espaços. Esse não é um número mágico, apenas é o que corresponde, aproximadamente, à página A4, com texto em corpo 12 e espaço 1,5. Assim, nossa lauda quase corresponde ao número de páginas do trabalho acadêmico usual. Mas muitos fatores interferem: quantidade de imagens, notas de rodapé, por exemplo. Com…

Elementos gráficos nas teses e dissertações: ilustrações, fotografias, desenhos, tabelas, diagramas

As ilustrações que acompanham as teses ou dissertações devem estar seguidas de legenda, e deverão ser indexadas, ou lançadas em lista geral de ilustrações, como melhor convier. O revisor atentará aos textos das legendas e aos intertextos em que o elemento gráfico implicar. O formatador procurará a melhor situação espacial para os elementos na página, segundo as restrições que as normas impuserem.
Dependendo do número delas e dos seus tipos, a numeração pode ser por cada tipo (Foto 1, Foto 2... Tabela 1, Tabela 2...) e também pode a numeração fazer referência ao capítulo em que o elemento gráfico foi inserido (Foto 2-1, Foto 2-2...); as alternativas ficam abertas à adequação de cada caso.
Várias são as possibilidades atuais de introdução de ilustrações no texto. A disposição das ilustrações pode se subordinar à sua natureza, ao texto ou à exigência de destino do trabalho, com amplas possibilidades.
Os cuidados a serem tomados se referem ao excesso – cabe ponderar sobre a necessidade da il…

Referências pela ABNT para Word

O Word faz para você o controle e a formatação das citações, por qualquer norma, inclusive as da ABNT. Aprenda a usar a ferramenta e simplifique sua vida na hora de fazer sua tese ou mesmo para um artigo a ser publicado. As pessoas que redigem teses e dissertações ainda não sabem usar o Word. Pouco fazem com o programa, além do que fariam com uma máquina de escrever; assim, uma das tarefas mais penosas da redação acadêmica, o controle das citações e das referências, é feito - insistentemente - sem o uso das ferramentas do Office que facilitam esses serviços. Uma importante Ferramenta do Microsoft Word é o seu Gerenciador de Fontes Bibliográficas. Para quem está escrevendo um trabalho acadêmico - uma tese, dissertação, artigo científico - ou qualquer outro texto que requeira citações normatizadas, é importante cadastrar as referências do trabalho para depois gerar a listagem dos documentos consultados na pesquisa. Sim, vou ser bem claro: o Word faz as referenciações das citações (dire…

Estrutura da tese de doutorado - ou da dissertação de mestrado

A estrutura sugerida de tese pode ser observada em outra tese; quem faz um doutorado há de ter lido várias teses e visto como deve ser, mas aqui se faz a abstração dessa estrutura. Trata-se de um modelo idealizado. Os elementos sugeridos abaixo são adequados para uma tese experimental ou teórica. Em alguns casos, um ou dois deles podem não ser aplicáveis. Verifique o que é adequado a seu caso. Claro que tudo isso serve também para a dissertação, mas em ponto menor.
Estas sugestões aqui são muito importantes: Faça uma lista para pontos do que serão alocados em cada capítulo. Tente fazer essa lista bastante detalhada, coloque pontos que correspondam às seções ou parágrafos da tese em redação. Não precisa colocar todos os pontos de primeira, a lista vai crescendo – à medida em que as ideias surgem – e diminuindo – quando os pontos listados, alcançados, forem sendo cortados. Nessa fase, pode ser difícil pensar a lógica de apresentação dentro dos capítulos, muitas vezes é possível apresen…

Referências no texto acadêmico

Antigamente, colocava-se ao fim de cada trabalho escrito uma bibliografia. Com advento de novas mídias, passou-se a usar o termo referências bibliográficas para a listagem de obras consultadas. Atualmente, a recomendação é usar apenas a expressão referências, pois elas pode ir bem além das obras livrescas. Mas ainda se deve se distinguir o que normalmente se confunde: Referências são o conjunto de indicações que possibilitam a identificação de documentos, publicações, no todo ou em parte. Referência: “‘Nota informativa de remissão’ (em publicação); ‘fonte de esclarecimento’ (para o leitor)” (AURÉLIO). Bibliografia é o conjunto de obras (livros) pesquisadas a que o leitor pode recorrer para aprofundamento sobre o assunto do trabalho. “Documento que apresenta lista de referências bibliográficas, usadas em ordem alfabética, relativas a um ou mais assuntos. Parte de uma obra na qual se listam as referências bibliográficas de obras recomendadas para leitura complementar” (AURÉLIO). Em geral…