Pular para o conteúdo principal

Vantagens e desvantagens da profissão de revisor de textos

A profissão de revisor não é uma ocupação tradicional. Até o século passado, era quase desconhecido e, mesmo hoje em dia, poucas pessoas sabem que um revisor de textos.

Uma das desvantagens do ofício de revisar textos são as inúmeros horas sentado.

A profissão de revisar textos oferece para aqueles que têm extensa formação em letras e ciências humanas a oportunidade de lucrar com seus conhecimentos. Encorajamos os revisores a ler avidamente e exercer o pensamento crítico, pois o conhecimento que resulta do hábito de leitura e das muitas obras lidas é necessário, imprescindível para revisar textos tanto em matéria de letras e ciências humanas ou os textos de carácter mais técnico. Revisores nunca pararam de aprender.
Os revisores podem se especializar em algum campo de conhecimento, ou algum gênero textual específico, segundo sua preferência ou optar por mais variedade, maior diversidade pode gerar mais trabalho. Editoras publicam documentos em um número infinito de assuntos – todos eles requerem revisão.
A variedade de assuntos e gêneros requer a multiplicidade de talentos. Revisores que fazem parte de uma equipe de produção também podem trabalhar de forma colaborativa com os autores, designers e pessoas de diferentes áreas. Isso pode ser desafiador e ser uma boa maneira de familiarizar-se com outros aspectos da edição.
Além disso, após o período de formação, o revisor deve exercer o ofício praticamente sem supervisão. Editores confiam na opinião de seus críticos e revisores e, assim que eles tomam conhecimento das regras básicas e o estilo casa, são encorajados a exercer seu próprio julgamento. O estilo de casa são as preferências estilísticas do editor ou do revisor sênior no que diz respeito a ortografia, a escolha de palavras, o uso de letras maiúsculas, muitos aspectos que não são alcançados pela gramática ou pelas normas aplicáveis.
No entanto, como com qualquer outra profissão, a revisão também tem desvantagens. Os revisores são constantemente confrontados com a dura realidade do tempo. A edição é uma indústria complexa. Um texto pode ser sempre de última hora, muitas vezes se requer trabalho à noite ou durante o fim de semana e revisores, bem como os demais envolvidos na produção de um documento ou obra, muitas vezes se tem que trabalhar horas extras – isso pode resultar em custo extra para o cliente da revisão, claro, e mais receita para o revisor, mas requer dele a respectiva disponibilidade.
Outra fonte de estresse, muito frequente entre os revisores de manuscritos, vem que este trabalho requer uma perfeição tendente a absoluta. Uma vez que o documento seja impresso, erros tipográficos, gramaticais ou factuais, desde os mínimos até os mais grosseiros, emergem com clareza e brilho. As diretivas que não correspondem aos exemplos citados, as colunas incorretas das figuras, referências de páginas imprecisas, muitas vezes passam despercebidas até o lançamento do produto final. Os revisores têm pesadelos com esses problemas! Por isso, sempre que possível, um texto passa por múltiplas revisões e por diversos revisores. A tentativa será sempre minimizar os problemas e falhas – mas, sempre sobrará algo: não existe revisão perfeita.
Alguns autores aceitam mal a necessidade da revisão em seus textos. Eles preferem ir ao dentista a precisar de um revisor! Então, essa desconfiança pode às vezes resultar em queixas, justificadas ou não.
Finalmente: um bom trabalho de revisão é quase invisível. Então, para quem gosta de estar no centro das atenções, carreira de revisor de textos provavelmente não seja boa.
Apesar destas deficiências, essa ocupação pode ser gratificante. Para aqueles que amam escrever e que têm capacidades críticas a pensamento autônomo, a revisão oferece uma ótima oportunidade para exercer uma atividade relacionada à língua e trabalhar com outras pessoas que compartilhem a mesma paixão.

Estudos e formação para revisor

Mesmo que a maioria dos revisores tenha um grau acadêmico, às vezes parece não haver nenhuma conexão entre o curso (ou área de estudos) e as suas competências profissionais. Alguns começaram sua carreira logo após o final de seus estudos; outros trabalharam primeiro em uma área completamente diferente.
A maioria dos empregadores presta mais atenção à experiência e reputação do que qualquer outra referência. Então, se você pretende fazer uma carreira nesta área, comece oferecendo seus serviços para as organizações em sua comunidade (boletins, revistas ou folhetos). Assim, você terá a oportunidade de ver como funciona o ofício; teste suas habilidades e seus interesses; adquirir experiência é o que se deve fazer durante seus primeiros anos de trabalho no ramo.
Computadores desempenham um papel importante na edição e revisão de textos. Familiarizar-se com um ou mais sistemas, com programas de processamento de texto diferentes, aumentará sua versatilidade. Para obras que vêm de empresas ou que sejam de natureza técnica, habilidades em layout de página e gráficos de computador será igualmente útil. Além disso, a tela do computador agora é o meio de comunicação escrita por excelência, com suas próprias regras e requisitos para edição.
Se você quer saber as várias opções relativas à formação de revisores, fique ciente de que a maioria dos empregadores não oferecem nenhum treinamento em si, e há apenas algumas organizações e instituições educacionais que oferecem cursos neste campo. Claro, o curso nunca irá substituir a experiência, mas eles podem se tornar familiares com certos aspectos do trabalho.
Existem também inúmeros cursos livres e de pós-graduação em revisão de textos; eles têm focos variados e, claro, podem representar um acréscimo qualitativo ao profissional. Mas eles ainda são um pouco novos no mercado e não substituem, de modo nenhum, as indicações que demos aqui. 
Quem deseja se comunicar será ouvido ou lido muito melhor e incomparavelmente mais bem compreendido se sua comunicação for apresentada de forma agradável. Expressar um pensamento profundo, brilhante, mas com palavras que colidem, sílabas que se chocam, dissonância que irrompem em cacofonias, faz os espíritos se fecharem, o pensamento vai encontrar barreiras psicológicas e intelectuais. Ao se dizer a mesma coisa, mas com elegância e harmonia, quer se queira, quer não, as pessoas ouvirão, lerão melhor, as inteligências vão se abrir, vai-se despertar simpatia do leitor ou ouvinte, e o indiferente ou mais refratário interlocutor será captado, com melhor probabilidade de convencimento, ou, pelo menos fazendo-o escutar – o que é o primeiro passo e o mais importante para a comunicação. Nesse processo de entendimento, o revisor é o grande facilitador, ao tornar o texto mais fluente e enxuto, com menos ruídos de erros ou lapsos.
Share on Tumblr

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela de preços de revisão de tese ou dissertação

Preços de revisão e formatação acadêmica Tema espinhoso para o revisor e para os autores: taxas, preços, pagar por lauda , remuneração justa… Infelizmente, não existe preço padrão – como não existe serviço estandardizado, há excelentes revisores de textos na praça, e outros não tão bons ; mas existem tendências que podem tornar-se prática e sobre as quais vamos comentar. Para saber com segurança o preço do serviço, solicite um orçamento. Não se deixe impressionar pelo preço baixo na hora de contratar um revisor de textos: pode sair muito caro! Contrate o melhor.  Assim como como em serviços de tradução, geralmente, o preço da revisão é calculado por lauda. Para alguns, este termo – lauda – indica um texto de 1200 a 2200 caracteres, como muitos editores, revisores, tradutores e agentes literários, nós entendemos por lauda um texto de 1500 caractere com espaços. Esse não é um número mágico, apenas é o que corresponde, aproximadamente, à página A4, com texto em corpo 12 e espaço 1,5. A

Elementos gráficos nas teses e dissertações: ilustrações, fotografias, desenhos, tabelas, diagramas

Gráficos e ilustrações integram as teses e dissertações As ilustrações que acompanham as teses ou dissertações devem estar seguidas de legenda, e deverão ser indexadas, ou lançadas em lista geral de ilustrações, como melhor convier. O revisor atentará aos textos das legendas e aos intertextos em que o elemento gráfico implicar. O formatador procurará a melhor situação espacial para os elementos na página, segundo as restrições que as normas impuserem. Os cuidados a serem tomados se referem ao excesso – cabe ponderar sobre a necessidade da ilustração e sobre a informação que ela agrega ao texto; se não for realmente pertinente, é preferível descartar; no que se refere aos gráficos, fluxogramas e outros elementos ilustrativos criados para o trabalho, é bom verificar se possuem tamanho e cores adequadas – sóbrias – como convém ao texto científico; as cores que os programas mais usuais de planilha de cálculo usam automaticamente parecem bastante adequadas, não sendo preciso inventar

Referências pela ABNT para Word

O Word faz o controle e a formatação das citações O programa da Microsoft está apto a trabalhar com várias normas , inclusive as da ABNT. Aprenda a usar a ferramenta e simplifique sua vida na hora de fazer sua tese ou mesmo para um artigo a ser publicado . Ilumine seu texto revisando e formatando na Keimelion. Uma importante Ferramenta do Microsoft Word é o seu Gerenciador de Fontes Bibliográficas. Para quem está escrevendo um trabalho acadêmico - uma tese, dissertação, artigo científico - ou qualquer outro texto que requeira citações normatizadas, é importante cadastrar as referências do trabalho para depois gerar a listagem dos documentos consultados na pesquisa.As pessoas que redigem teses e dissertações ainda não sabem usar o Word. Pouco fazem com o programa, além do que fariam com uma máquina de escrever; assim, uma das tarefas mais penosas da redação acadêmica, o controle das citações e das referências, é feito - insistentemente - sem o uso das ferramentas do Office que facilitam

Abreviatura, siglas e símbolos

Critérios de uso: siglas e abreviaturas em teses. Abreviatura é a “apresentação de uma palavra por meio de alguma(s) de suas sílabas ou letras, usada no tratamento documental”. Evitemos inventar abreviaturas , exceto aquelas que se referirem a elementos conceituais ou referências a obras clássicas repetidas extensiva e intensivamente no trabalho. Segundo recomendação da SOAPQR, evite-se o uso de abreviaturas que não sejam de domínio comum entre os leitores do texto. Entre as mais comuns universalmente aceitas, há: designação de ano ou século em relação à era cristã (a.C., d.C.); a expressão etc. (et cœtera); meses do ano em ilustração, tabelas e referências (jan., fev., mar., abr., mai., jun., jul., ago., set., out., nov., dez.); designações comerciais (Cia., Ltda., S/A, S/C). Siglas criam dificuldades para o leitor, porque exigem que sejam decifradas. A regra é evitá-las, principalmente em títulos, exceto em casos consagrados, como Aids, Bradesco, Embratel, ONU, OLP, USP. Observe-se a

A tese: material e métodos, resultados e conclusão, estilo e referências

Tese e dissertação são textos logos do gênero acadêmico As partes das teses e dissertações pode constituir subgêneros específicos A escrita da tese segue parâmetros distintos nas seções específicas do texto, guardando unidade de estilo e coerência entre todos os segmentos do trabalho. Assim, a introdução pode ter, por exemplo, uma passagem mais pessoal, que relate a ligação do autor com a temática, e partes que analisem discursos de sujeitos entrevistados podem requerer transcrições literais - segmentos repletos de oralidade, o que não é admitido em outros trechos no gênero acadêmico. Já os resumos, são outro tópico, e merecem uma postagem só para eles. O coroamento da pesquisa é a apresentação dos resultados: a tese, sua defesa, a publicação. Material e métodos: descrever equipamentos e procedimentos Nesta seção o autor deve explicar claramente como o experimento foi realizado, e como foi realizada a análise estatística dos dados, podendo também utilizar as sugestões indicadas para