Pular para o conteúdo principal

Padrões de editoração acadêmica: tese, dissertação, artigo

Fundamentos editoriais do texto científico.

Faremos uma introdução aos padrões Keimelion de editoração de textos acadêmicos: revisão e formatação de teses, dissertações e artigos científicos.

A editoração de textos acadêmicos, notadamente a dos textos mais longos, envolve cuidadosa revisão e formatação do material antes de sua defesa e publicação, implicando em inúmeras alterações ou sugestões para aperfeiçoar o texto e sua apresentação gráfica. O objetivo da editoração é garantir que o material seja consistente e preciso e que seu conteúdo, linguagem, estilo e layout atendam a sua finalidade e às necessidades do público alvo.
Mudar um texto em processo de revisão gera conflito de versões e retrabalho.
Existem fundamentos técnicos e teóricos que embasam as atividades de revisão e formatação de textos.
Os revisores de textos científicos e seus formatadores são atores intermediários que devem, habilmente e com muito tato, equilibrar os interesses do autor (o cliente) às exigências do público intermediário (pares, bancas, comissões editoriais) e às exigências dos leitores finais – o alvo.
Capturar a completa gama de conhecimentos, habilidades, melhores práticas, tarefas sequenciais e responsabilidades exigidas da equipe de editoração, em todos os projetos, em todas as configurações, é impossível. Por um lado, as equipes trabalham em muitos assuntos diferentes e textos acadêmicos de todas as áreas do conhecimento e que requerem habilidades e conhecimentos especializados. Por outro lado, as equipes executam tarefas que se estendem além de editoração, tais como gerenciamento de projetos, design, indexação, comparação de tradução, referenciação.
Independentemente disso, existem certas normas fundamentais, padrões de editoração, que revisores e formatadores profissionais devem conhecer, por suposto, e que constituem diretrizes do trabalho na Keimelion. O objetivo aqui é listar as principais normas de procedimento – o conhecimento, habilidades e práticas mais comumente necessárias para editoração de textos acadêmicos e que são nossos referenciais. Os padrões cobrem os estágios editoriais geralmente reconhecidos (formatação primária, revisão primária, formatação do texto, segunda leitura... ) que começam quando o material está mais ou menos completo e terminam quando está pronto para publicação (defesa, submissão). Os padrões são divididos em cinco partes:
  1. fundamentos da editoração: abrange que os conhecimentos e práticas necessárias de todos os editores acadêmicos profissionais.
  2. editoração estrutural: cobre as competências necessárias em cada fase do trabalho.
  3. editoração estilística: abrange a criação e implantação de estilos para os campos texto e tópicos.
  4. formatação: compreende a conjunção entre os elementos gráficos e o texto.
  5. revisão do texto: perpassa todos os elementos textuais (gramática, estilo, ortografia...), intertextuais (relação ente textos e imagens, entre dados e gráficos...) e hipetextuais (links internos e externos, índices, metarreferências...).
Share on Tumblr

Os fundamentos da editoração estrutural de teses e dissertações

Os profissionais de revisão de textos acadêmicos e de formatação e normalização executam uma variedade de tarefas, da gestão de um processo editoração inteiro ou apenas uma parte específica dele. Independentemente da extensão de seu envolvimento, todos os profissionais envolvidos precisam ter compreensão ampla do processo e de seu papel nele. Eles devem demonstrar iniciativa e flexibilidade, sendo capazes de se adaptar às necessidades do projeto e às condições de cada trabalho específico, e eles precisam se comunicar claramente e com muito tato, respeitando as opiniões dos outros e as determinações do cliente.
Antes de empreender um projeto, os revisores e formatadores devem se assegurar de que têm as habilidades, formação e experiência necessária para completar o trabalho. Eles também devem continuar a melhorar e atualizar seus conhecimentos e competências ao longo de suas carreiras.

Conhecimentos necessários ao serviço

Conhecimento teórico de editoração.

  • Conhecer o processo de editoração acadêmica. Compreender as etapas do processo editorial para que o trabalho dos revisores e formatadores se complementem.
  • Compreender as fases de um projeto, as funções típicas da equipe de editoração e o lugar do editor no processo.
  • Entender os estágios geralmente reconhecidos do processo editorial e estar ciente de que podem se sobrepor ou se desdobrar de forma diferente durante a execução de determinado projeto.
  • Estar familiarizado com a terminologia comumente utilizada na editoração e publicação.
  • Entender os diferentes tipos de textos (gêneros textuais) e meios de comunicação social (mídias) e as implicações que eles têm para as opções de editoração e produção.

Conhecer importância do público e a finalidade do material.

Estar ciente das implicações entre o texto e público e da finalidade do material para a editoração e para se fazerem as escolhas. A cada estágio, ter em vista o produto final.

Conhecer a relação entre o escopo de um projeto e o processo editorial.

Compreender como a editoração é influenciada pelo escopo de um projeto: o que é o projeto (seu objetivo, público e mídia); o nível de intervenção editorial necessária; o tempo, orçamento e outros recursos disponíveis; os papéis dos principais intervenientes no projeto; e as linhas de autoridade.

Conhecimento da mídia do projeto.

Ao editar qualquer tipo de publicação, conhecer suas partes e entender seus propósitos e a ordem habitual ou colocação (por exemplo: partes de uma página impressa ou eletrônica; partes de um livro, revista ou boletim; convenções para governo ou relatórios empresariais; convenções para sites ou outras publicações eletrônicas; elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais de uma tese).

Conhecer os requisitos legais e éticos inerentes ao texto e sua publicação.

  • Entender que a editoração é parte de um processo com dimensões legais e éticas.
  • Entender as dimensões jurídicas do processo de editoração, incluindo os conceitos fundamentais de direitos autorais (por exemplo, a posse de obras, domínio público, os direitos morais), plágio, difamação, obscenidade, proteção de privacidade e assuntos relacionados.
  • Compreender a dimensão ética dos processos de editoração publicação, incluindo a necessidade de abordar o material tendencioso, não-inclusivo e ofensivo.
  • Compreender o papel do revisor e do formatador nessas partes do processo editorial e saber a importância de abordar quaisquer questões que possam surgir em qualquer fase da editoração.
  • Saber quando as permissões são necessárias.

Saber processar os elementos básicos do design e produção editorial.

  • Estar consciente do papel que a editoração desempenha no processo de criação e produção e compreender os princípios básicos, convenções, terminologia e ferramentas desse processo.
  • Entender como o design gráfico pode ser usado para transmitir significado e melhorar a legibilidade (ergonomia visual).
  • Entender como elementos textuais e a inter-relação entre texto, formato e design podem afetar a legibilidade de modo diferente em diferentes mídias.
  • Entender as convenções para a exibição de tabelas, figuras, gráficos, mapas e outros elementos visuais.
  • Familiarizar-se com características tipográficas, incluindo medidas tipográficas (por exemplo, pixels, pontos), alinhamento do texto (por exemplo, recuo, justificação), espaçamento (por exemplo: fio, espaço) e tipo de letra (por exemplo, com o sem serifa, famílias).
  • Estar familiarizado com o software comumente usado para design, formatação, editoração eletrônica e criação de Web.
  • Familiarizar-se com elementos visuais comuns, tais como os principais formatos gráficos (por exemplo, GIF, JPEG, TIFF) e tipos de imagens (por exemplo, ícones, fotografias, trechos de vídeo, ilustrações).

Práticas do serviço de editoração acadêmica

Definir e manter uma programação realista.

Definir agendamentos realistas e cumprir prazos. Se trabalhar, por exemplo, como coordenador do projeto, definir e manter o cronograma, como líder da equipe interna, e equilibrando os prazos de vários clientes.

Definir e aplicar a intervenção adequada e editorial.

  • Avaliar a qualidade do material e determinar a intervenção editorial que é apropriada, tendo em conta o escopo do projeto.
  • Determinar a extensão da editoração a ser aplicada: a fase ou fases (estrutural, estilística; revisão de textos) e o nível de intervenção (pesado, leve). Certificar de que a equipe está ciente dessas decisões e do que elas acarretam.
  • Reconhecer o que precisa ser mudado e realizar a editoração de que é necessário ou solicitado, aplicando o estágio e o nível de editoração consistentemente.
  • Certificar-se de que o formato é apropriado ao material para melhor atender as necessidades do público-alvo, propósito e mídia.
  • Considerar as implicações de tempo, custo, processos de produção, público-alvo e propósito ao sugerir alterações. Na primeira oportunidade, identificar problemas que possam afetar a agenda ou o orçamento.

Identificar e resolver problemas legais e éticos.

  • Resolver quaisquer questões que possam surgir, tendo em conta as dimensões éticas e legais do processo de publicação, sempre com a brevidade possível.
  • Identificar e resolver ou indicar possíveis soluções de problemas legais (por exemplo, violação de direitos autorais, plágio, difamação, obscenidade, violações de privacidade).
  • Identificar referências potencialmente tendenciosa e material ofensivo (por exemplo, suposições ou conteúdo racista, sexistas, culturalmente estereotipadas) e remover, alterar, ou sugerir.

Conhecer as ferramentas de editoração de empregá-las com competência de usuário avançado.

  • Usar o software, outras ferramentas eletrônicas e material de referência que sejam relevantes para editoração com competência e eficiência.
  • Aplicar a tecnologia eletrônica atual e software para trabalhar compartilhar material com autores, clientes ou membros da equipe.
  • Manter proficiência em softwares relevantes para editoração (por exemplo, localizar e substituir itens, revisões, ortografia e controle de alterações).
  • Saber onde encontrar e como usar obras de referência atuais, de confiança, tanto impressa e eletrônicas, incluindo guias de estilo, dicionários e outras fontes.

Gerenciar arquivos e documentos metodicamente.

  • Garantir que as interferências sejam claramente apresentadas para que possam ser devidamente aplicadas e capturados no processo de produção editorial. 
  • Controlar e apresentar as alterações, sugestões e correções de forma clara para os demais colaboradores, quer por via oral ou por escrito (por exemplo, papel ou marcação eletrônica, notas, e-mails, notas de margem).
  • Comunicar-se claramente e com muito tato com membros da equipe em todas as fases.
  • Manter cópias dos rascunhos sucessivos e provas, identificar quem fez as mudanças e tomar medidas para assegurar que todas as partes estejam usando a versão atual de cada documento.
  • Verificar que alterações solicitadas sejam feitas corretamente e certificar-se de que o material aprovado em fases anteriores não foi alterado involuntariamente.
  • Não inserir erro novo. Fazer todas as alterações sem mudar o significado pretendido ou introduzir erros.

Estrutura e estilo no texto acadêmico.

Padrões para editoração acadêmica estrutural.

Edição estrutural é avaliar e trabalhar os originais (manuscritos) para melhorar a sua organização e conteúdo. A editoração estrutural de uma tese ou dissertação requer domínio dos fundamentos da editoração acadêmica e se baliza pelas seguintes capacidades:

Avaliação geral do documento

Avaliar a organização geral e o conteúdo do material para determinar sua adequação para o público-alvo, mídia e finalidade.

Organização do conteúdo

  • Reorganizar o material para obter estrutura coerente e sequencial. Obter progressão lógica das ideias e narrativa ou fluxo expositivo apropriado ao público, mídia e finalidade, tendo em mente que a mídia, muitas vezes, determina a organização (por exemplo: a estrutura de pirâmide invertida de um artigo de jornal, o arranjo dedutivo dos capítulos da tese, a estrutura linkada de um site).
  • Determinar e indicar ou implementar o posicionamento mais eficaz de todos os elementos visuais.
  • Revisar, cortar, ou expandir o material ou sugerir tais mudanças, para atender aos requisitos de extensão.

Conteúdo material do texto

  • Identificar e recomendar ou fazer exclusões apropriadas (por exemplo: para remover passagem repetitiva ou supérflua) e adições (por exemplo: para preencher lacunas no conteúdo ou reforçar as transições entre as seções) no texto e elementos visuais.
  • Reconhecer e consultar ou resolver instâncias de precisão questionável, investigação inadequada e desequilíbrio no conteúdo.
  • Reconhecer e reformular de material que seria melhor apresentado de outra forma (por exemplo: texto carregado de número, converter em tabela, material descritivo como diagrama, longa série de pontos como lista, longa digressão como apêndice).
  • Selecionar, criar ou corrigir os elementos visuais adequados (por exemplo: imagens, barras laterais, rubricas, notas), se necessário, de acordo com os requisitos e restrições impostas (por exemplo: orçamento, cronograma, formato, mídia, normas). Determinar o comprimento de legendas e conteúdo apropriado.
  • Identificar, criar, ou corrigir o material complementar e referências apropriadas (por exemplo: glossários, notas, itens de menu de Web, hiperlinks).
  • Criar ou garantir o exato e completo material contextual (por exemplo: informações de cabeçalho em revistas, notas remissivas a livros, navegação Web e conteúdo da ajuda para publicações eletrônicas).
  • Determinar se as permissões são necessárias (por exemplo: para imagens, citações, trechos de áudio). Se necessário, obter essas permissões ou levar o assunto à atenção da pessoa adequada.

Comunicação e comunicabilidade

Comunicar claramente e diplomaticamente com o autor ou supervisor do projeto para confirmar a estrutura, solicitar esclarecimentos do conteúdo e propor ou negociar alterações editoriais amplas.

Padrões para edição estilística.

A edição de estilo acadêmico visa conferir clareza ao sentido pretendido, melhorar o fluxo e suavizar a linguagem técnica. Um revisor profissional do gênero de texto acadêmico domina os fundamentos da edição e se pauta pelos seguintes padrões:

Clareza textual.

  • Melhorar a construção das frases para mais efetivamente transmitir o significado (por exemplo: usando estruturas subordinadas para ideias subordinadas, preferindo voz ativa à passiva em descrições, substituindo construções negativas por afirmativas).
  • Melhorar a escolha de palavras para transmitir significado mais preciso (por exemplo: por substituição do geral e abstrato pelo específico e concreto (ou vice-versa), substituindo as sequências de substantivos, eliminando clichês e eufemismos).
  • Reescrever as frases, parágrafos, e passagens para resolver ambiguidades, certificar-se de conexões lógicas e de esclarecer com o autor significados ou intenções, em harmonia com o estilo do texto.
  • Melhorar frases, parágrafos, ou passagens, tornando o argumento inteligível, mudando o mínimo possível para preservar ao máximo a voz do autor.
  • Assegurar que todas as tabelas, fotos, multimídia e outros elementos visuais sejam claros e transmitam eficazmente o significado pretendido.

Fluência de frases e parágrafos.

  • Garantir a transição entre frases e entre parágrafos, propiciando o desenvolvimento coerente do texto como todo.
  • Reordenar as frases dentro do parágrafo, quando necessário, para garantir foco claro e coerente.
  • Ajustar o comprimento das estruturas frasais e paragrafais para garantir a variedade ou consistência, como apropriado para a público e mídia.

Aspectos linguísticos.

  • Determine o registro da língua e leitura apropriado para o público alvo e médio, editar para estabelecer ou manter a uniformidade linguística correspondente (por exemplo: traduzindo o jargão em termos compreensíveis, usando vocabulário apropriado ao material, evitando frases longas ou complicadas).
  • Estabelecer ou manter um estilo consistente e autoral voz ou nível de formalidade adequado ao público e mídia.
  • Eliminar lacunas (por exemplo: excluindo frases vazias, desnecessários).
  • Ergonomia visual
  • Marcar as alterações e sugestões claramente e segundo a convenção. Usar o sistema o de controlar alterações, ferramentas de marcação do PDF ou Word.
  • Julgar quando consultar o autor ou quando dar solução resolutiva à interferência.
  • Comunicar claramente e diplomaticamente com o autor do projeto para esclarecimento de significado ou intenção, explicar as alterações, conforme o caso, e propor ou negociar alterações editoriais significativas.

Revisão e formatação de teses, dissertações e artigos.

A editoração gráfica de teses e dissertações visa garantir a exatidão, consistência, precisão, e completude.

Padrões para editoração: revisão acadêmica

A revisão acadêmica profissional requer domínio dos fundamentos da editoração e se direciona pelos seguintes padrões:

Correção ortogramatical.

  • Entender as regras de gramática portuguesa e corrigir erros (por exemplo: falta concordância nominal, colocação de adjetivos e advérbios, topologia pronominal).
  • Entender os princípios de pontuação e corrigir erros (por exemplo: a vírgula separando sujeito, uso incorreto de aspas).
  • Corrigir erros de ortografia (por exemplo: erros tipográficos, erros decorrentes de palavras homônimos e sonoridade semelhante).
  • Corrigir erros comuns (por exemplo: gerundismos, redundâncias, chavões, cacófatos, tabuísmos).

Coerência e consistência.

  • Identificar e aplicar consistentemente categorias de estilo (por exemplo: abreviaturas, unidades de medidas, tratamento de números).
  • Desenvolver uma folha de estilo, ou usar um template fornecido, e aplicá-lo de forma consistente.
  • Entender os diferentes estilos editoriais para citação de fontes (por exemplo: APA, Chicago, ABNT) e consistentemente aplicar um estilo apropriado para a material.
  • Identificar e corrigir ou consultar sobre inconsistências na lógica, detalhes factuais, e referências cruzadas incorretas ou perdidas.
  • Assegurar que todas as tabelas, fotos, multimídia, e outros elementos visuais sejam consistentes com o texto e consistentemente apresentados (por exemplo: títulos, legendas, numeração).
  • Entender as questões relacionadas ao uso de outros idiomas, especialmente o francês e o inglês no contexto (por exemplo: a capitalização, italicização, caracteres acentuados).

Exatidão e integridade.

  • Identificar e corrigir ou consultar sobre itens que devem ser checados para precisão (por exemplo: nomes de pessoas e lugares, títulos, citações, web links).
  • Identificar e corrigir ou consultar sobre material contendo estatísticas, matemática e numerais (por exemplo: conversões de sistema métrico/imperial, totais em tabelas).
  • Certificar-se de que o material esteja completo e, como apropriado, consultar ou fornecer elementos faltantes (por exemplo: legendas e rubricas, web links, números de telefone, endereços).
  • Reconhecer lugares onde citações são necessárias (por exemplo: citações sem fonte, generalizações sem suporte no trabalho acadêmico, tabelas que exigem dados de fonte).
  • Reconhecer elementos que exigem direitos autorais e permissão para reprodução (por exemplo: citações, multimídia, fotos). Se necessário, preparar agradecimentos e obter permissões ou trazer a importância à atenção do a pessoa apropriada.

Comunicação e comunicabilidade.

  • Marcar claramente e usar padrões de edição, a menos que outro sistema tenha sido acordado. Quando trabalhando em cópia eletrônica, usar um sistema acordado marcação (por exemplo: controlar alterações, ferramentas de marcação do PDF).
  • Saber quando consultar o autor ou outra pessoa apropriada e quando resolver problemas sem consulta.
  • Escrever clara, coerente e diplomaticamente consultas e notas para a pessoa apropriada (por exemplo: o autor, o cliente, o orientador).

Padrões para revisão acadêmica.

A revisão do texto se procede depois que o material está avaliado e formatado e depois de o layout estar definido e seu papel é corrigir erros nos elementos textuais e intertextuais. Do profissional revisor se requer um domínio dos fundamentos da edição e baseia-se nos seguintes padrões:

Práticas do revisor.

  • Reconhecer as vantagens e desvantagens de várias estratégias de revisão (por exemplo: ler com um parceiro, ler na tela ou no papel) e aplicar a estratégia apropriada para a material.
  • Aplicar o estilo editorial requerido para o material e atualizá-lo, se necessário. Se não há estilo fornecido, propor um.
  • Leia o texto palavra por palavra.
  • Verificar que todas as alterações feitas ou sugeridas tenham tido solução, como solicitado, e que não se apresentem a novos problemas (por exemplo: verificar linhas órfãs e viúvas e quebras página, fluxo de texto, tabela de conteúdos, barra de navegação).
  • Em todas as fases, abster-se de interferência estrutural, estilística, ou edição, a menos que autorizado a o fazer.

Correções de provas.

  • Certificar-se de que, na primeira prova, haja todos os elementos do layout (por exemplo: parágrafos, elementos visuais, títulos).
  • Identificar erros tipográficos e erros de formatação, dar especial atenção a áreas problemáticas (por exemplo: nomes e palavras estrangeiras; precisão dos números, tabelas, e figuras).
  • Verificar consistência e exatidão dos elementos em todo o material (por exemplo: referências cruzadas, títulos e caixas-altas, legendas, hiperlinks, metadados, quebras de página, quebras de tabelas e quadros).
  • Entender especificações de design e garantir que elas tenham sido seguidas (por exemplo: alinhamento, tipo tamanho e espaço, estilo, linha em torno de elementos principais, uso de cor, a aparência dos hiperlinks).
  • Reconhecer irregularidades tipográficas e de formatação (margens, imagens mal ajustadas ao texto) e sugerir ajustes para eliminar os problemas.

Avaliação e controle de qualidade.

  • Apontar questões que podem afetar os estágios de produção.
  • Apontar inconsistências (por exemplo: na ortografia, pontuação, fatos, elementos visuais, navegação, metadados, ou outro conteúdo que podem não aparecer em uma página de publicação web). Decidir sobre tais consultas ou correções.
  • Incorporar alterações de autores e outros colaboradores, usando o julgamento e tato. Onde houver comentários em conflito, usar o julgamento para implementar as apropriadas alterações.
  • Escolher a alterações mais apropriada entre várias opções, tendo em conta o processo de produção, agenda, mídia, desejo de qualidade, tipo de texto (por exemplo: uma tese ou um site), orçamento.

Comunicação revisor-autor.

  • Marcar claramente as interferências por meio eletrônico, a menos que outro sistema tenha sido acordado.
  • Manter comunicação com a pessoa apropriada (por exemplo: designer, supervisor de projeto, orientador) conforme necessário para mais eficiência.
5.18 Distinguir e marcar diferencialmente erros do autor ou alterações do formatador, se solicitado.

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela de preços de revisão de tese ou dissertação

Preços de revisão e formatação acadêmicaTema espinhoso para o revisor e para os autores: taxas, preços, pagar por lauda, remuneração justa… Infelizmente, não existe preço padrão – como não existe serviço estandardizado, há excelentes revisores de textos na praça, e outros não tão bons; mas existem tendências que podem tornar-se prática e sobre as quais vamos comentar. Não se deixe impressionar pelo preço baixo na hora de contratar um revisor de textos: pode sair muito caro! Contrate o melhor. Assim como como em serviços de tradução, geralmente, o preço da revisão é calculado por lauda. Para alguns, este termo – lauda – indica um texto de 1200 a 2200 caracteres, como muitos editores, revisores, tradutores e agentes literários, nós entendemos por lauda um texto de 1500 caractere com espaços. Esse não é um número mágico, apenas é o que corresponde, aproximadamente, à página A4, com texto em corpo 12 e espaço 1,5. Assim, nossa lauda quase corresponde ao número de páginas do trabalho acadêm…

Referências pela ABNT para Word

O Word faz o controle e a formatação das citaçõesO programa da Microsoft está apto a trabalhar com várias normas, inclusive as da ABNT. Aprenda a usar a ferramenta e simplifique sua vida na hora de fazer sua tese ou mesmo para um artigo a ser publicado.
Uma importante Ferramenta do Microsoft Word é o seu Gerenciador de Fontes Bibliográficas. Para quem está escrevendo um trabalho acadêmico - uma tese, dissertação, artigo científico - ou qualquer outro texto que requeira citações normatizadas, é importante cadastrar as referências do trabalho para depois gerar a listagem dos documentos consultados na pesquisa.As pessoas que redigem teses e dissertações ainda não sabem usar o Word. Pouco fazem com o programa, além do que fariam com uma máquina de escrever; assim, uma das tarefas mais penosas da redação acadêmica, o controle das citações e das referências, é feito - insistentemente - sem o uso das ferramentas do Office que facilitam esses serviços. Faça a referenciação pelo Word o tempo tod…

Elementos gráficos nas teses e dissertações: ilustrações, fotografias, desenhos, tabelas, diagramas

Gráficos e ilustrações integram as teses e dissertaçõesAs ilustrações que acompanham as teses ou dissertações devem estar seguidas de legenda, e deverão ser indexadas, ou lançadas em lista geral de ilustrações, como melhor convier. O revisor atentará aos textos das legendas e aos intertextos em que o elemento gráfico implicar. O formatador procurará a melhor situação espacial para os elementos na página, segundo as restrições que as normas impuserem.
Os cuidados a serem tomados se referem ao excesso – cabe ponderar sobre a necessidade da ilustração e sobre a informação que ela agrega ao texto; se não for realmente pertinente, é preferível descartar; no que se refere aos gráficos, fluxogramas e outros elementos ilustrativos criados para o trabalho, é bom verificar se possuem tamanho e cores adequadas – sóbrias – como convém ao texto científico; as cores que os programas mais usuais de planilha de cálculo usam automaticamente parecem bastante adequadas, não sendo preciso inventar muito.S…

Abreviatura, siglas e símbolos

Critérios de uso: siglas e abreviaturas em teses.Abreviatura é a “apresentação de uma palavra por meio de alguma(s) de suas sílabas ou letras, usada no tratamento documental”.Evitemos inventar abreviaturas, exceto aquelas que se referirem a elementos conceituais ou referências a obras clássicas repetidas extensiva e intensivamente no trabalho. Entre as mais comuns universalmente aceitas, há: designação de ano ou século em relação à era cristã (a.C., d.C.); a expressão etc. (et cœtera); meses do ano em ilustração, tabelas e referências (jan., fev., mar., abr., mai., jun., jul., ago., set., out., nov., dez.); designações comerciais (Cia., Ltda., S/A, S/C). Siglas criam dificuldades para o leitor, porque exigem que sejam decifradas. A regra é evitá-las, principalmente em títulos, exceto em casos consagrados, como Aids, Bradesco, Embratel, ONU, OLP, USP. Observe-se a seguinte padronização:não usar pontos: ONU e não O.N.U.;escrever por extenso seu significado, de preferência logo após a prime…

Partes da tese de doutorado ou da dissertação de mestrado

Contrate profissional para revisão e formataçãoA estrutura da tese e da dissertação requerem excelência e rigor.A estrutura sugerida de tese pode ser observada em outra tese; quem faz um doutorado há de ter lido várias teses e visto como deve ser, mas aqui se faz a abstração dessa estrutura. Trata-se de um modelo idealizado. Os elementos sugeridos abaixo são adequados para uma tese experimental ou teórica. Em alguns casos, um ou dois deles podem não ser aplicáveis. Verifique o que é adequado a seu caso. Claro que tudo isso serve também para a dissertação, mas em ponto menor. Nunca se pode esquecer de reservar tempo e dinheiro para fazer a revisão e a formatação do trabalho com um profissional, é o que fará a grande diferença. Share on Tumblr
Sugestões muito importantes para a redação do trabalhoFaça uma lista para pontos do que serão alocados em cada capítulo. Tente fazer essa lista bastante detalhada, coloque pontos que correspondam às seções ou parágrafos da te…