Pular para o conteúdo principal

Formato e numeração de páginas

Numerar as páginas da tese ou dissertação.

Questões bastante simples, como o formato da mancha e a numeração das páginas de um trabalho acadêmico longo (tese ou dissertação) costumam suscitar dúvida.

Tanto para qualquer TCC, quanto para uma tese ou dissertação, as normas de paginação são basicamente as mesmas.

Não há determinação precisa e unificada quanto ao formato da página, do texto e do pré-texto, manchas (parte impressa da folha) e margens; no entanto, passaram a ser usuais as seguintes características, com pequenas variações entre as instituições:
  1. papel alcalino branco, 75g/m2, formato A4 (210 X 297mm) mais comumente; em caso de impressão em frente e verso, prefira papl de 90c/m2.
  2. margens varia bastante, segundo exigido por cada instituição, podendo ser:
    3,5 cm na parte superior;
    2,5 cm na inferior;
    3,5 cm no lado esquerdo;
    2,5 cm no lado direito;
    1,7 cm no cabeçalho;
    1,7 cm no rodapé.
  3. fonte para o texto: Times New Roman; Corpo: 12; Espaço: 2 no texto e 1,5 nas citações longas (mais de cinco linhas), ou
  4. fonte para o texto: Arial; Corpo: 11; Espaço: 1,5 no texto e 1 nas citações longas (mais de cinco linhas);
  5. fontes para os títulos e seções serão hierarquizadas segundo a necessidade, mantendo-se sempre a mesma fonte utilizada no texto, em tamanhos diferentes, e usando-se negritos e itálicos, segundo convier. Por exemplo:

Numeração progressiva

Consiste na divisão do trabalho em seções. Segundo a NBR 6024 da ABNT, não se deve subdividir em seções além da terciária, procedimento de que discordamos e não adotamos.

Seções primárias

Correspondem aos capítulos. Numeram-se as seções primárias com a série natural dos números inteiros, a partir de 1 (um), pela ordem de sua colocação no documento. O título dessa seção deve ser em negrito e somente a primeira letra da frase é maiúscula. Este último aspecto normalmente não é cumprido, por exigência dos autores ou das instituições, contrariando a norma.

Seções secundárias e terciárias

São resultantes da divisão do texto dos capítulos. Numeram-se sequencialmente com a série natural dos números inteiros, a partir de 1 (um), pela ordem de sua colocação no respectivo capítulo.

Veja nas linhas abaixo exemplos de como isso pode ficar:

Título para seção sem numeração: sumário, referências


1       Título para seção de nível 1 – capítulos

1.1     Título para seção de nível 2 – subcapítulos

1.1.1     Título para seção de nível 3 – tópicos

1.1.1.1    Título para seção de nível 4 - subtópicos

A numeração da páginas, sempre em algarismos arábicos, inicia-se agora a partir da folha de rosto, mas só aparece a partir da primeira página do texto  (página 1 = folha de rosto), os critérios não estão ainda uniformes, dependem de cada instituição e da interpretação que fazem das normas, mas este procedimento está cada vez mais disseminado.
Para alguns, a numeração das páginas introdutórias ainda é contada a partir da folha de rosto e deve ser feita em algarismos romanos, colocados no canto superior direito, no cabeçalho de cada página – há quem prefira letras minúsculas, mas isso é absolutamente contrário ao procedimento romano clássico, portanto sem fundamento. Todavia, esse procedimento está em desuso. Nada mais de algarismos romanos!
Reforçando: as paginas introdutórias são contadas na numeração, mas não recebem números as folhas de rosto, as páginas pré-textuais e, em alguns casos, a primeira página do texto e as páginas que iniciam capítulo – o que não costuma ser seguido com muito rigor.
Para que o programa possa paginar de maneira diferente, ou iniciar a impressão de a partir de determinado ponto (… e 9, 10, 11 …), deve-se dividir o trabalho em seções diferentes.
Considerando que se deverão assumir diferentes formatações para as páginas, deve-se dividir o trabalho em pelo menos três seções: uma para capa e contra-capa, outra para o pré-texto e uma terceira para texto e pós-texto. Esses procedimentos requerem intimidade com a formatação eletrônica pelo Word ou a contratação de serviços profissionais.

Numeração decimal no sumário

A numeração e disposição do sumário é equivalente e correspondente às disposições da hierarquia dos tópicos. Há várias disposições gráficas possíveis; em teses e dissertações, recomentados sumário bem sucinto, um ou dois níveis apenas; quando o documento é muito longo e bastante hierarquizado, em diversos níveis e subníveis, sugerimos a inclusão de um índice analítico ao fim do trabalho.
Índice analítico - colocado no fim da tese.
Este índice analítico é de um trabalho nosso, sobre revisores de textos, que ainda está em elaboração.

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela de preços de revisão de tese ou dissertação

Preços de revisão e formatação acadêmicaTema espinhoso para o revisor e para os autores: taxas, preços, pagar por lauda, remuneração justa… Infelizmente, não existe preço padrão – como não existe serviço estandardizado, há excelentes revisores de textos na praça, e outros não tão bons; mas existem tendências que podem tornar-se prática e sobre as quais vamos comentar. Não se deixe impressionar pelo preço baixo na hora de contratar um revisor de textos: pode sair muito caro! Contrate o melhor. Assim como como em serviços de tradução, geralmente, o preço da revisão é calculado por lauda. Para alguns, este termo – lauda – indica um texto de 1200 a 2200 caracteres, como muitos editores, revisores, tradutores e agentes literários, nós entendemos por lauda um texto de 1500 caractere com espaços. Esse não é um número mágico, apenas é o que corresponde, aproximadamente, à página A4, com texto em corpo 12 e espaço 1,5. Assim, nossa lauda quase corresponde ao número de páginas do trabalho acadêm…

Abreviatura, siglas e símbolos

Critérios de uso: siglas e abreviaturas em teses.Abreviatura é a “apresentação de uma palavra por meio de alguma(s) de suas sílabas ou letras, usada no tratamento documental”.Evitemos inventar abreviaturas, exceto aquelas que se referirem a elementos conceituais ou referências a obras clássicas repetidas extensiva e intensivamente no trabalho. Entre as mais comuns universalmente aceitas, há: designação de ano ou século em relação à era cristã (a.C., d.C.); a expressão etc. (et cœtera); meses do ano em ilustração, tabelas e referências (jan., fev., mar., abr., mai., jun., jul., ago., set., out., nov., dez.); designações comerciais (Cia., Ltda., S/A, S/C). Siglas criam dificuldades para o leitor, porque exigem que sejam decifradas. A regra é evitá-las, principalmente em títulos, exceto em casos consagrados, como Aids, Bradesco, Embratel, ONU, OLP, USP. Observe-se a seguinte padronização:não usar pontos: ONU e não O.N.U.;escrever por extenso seu significado, de preferência logo após a prime…

Referências pela ABNT para Word

O Word faz o controle e a formatação das citaçõesO programa da Microsoft está apto a trabalhar com várias normas, inclusive as da ABNT. Aprenda a usar a ferramenta e simplifique sua vida na hora de fazer sua tese ou mesmo para um artigo a ser publicado.
Uma importante Ferramenta do Microsoft Word é o seu Gerenciador de Fontes Bibliográficas. Para quem está escrevendo um trabalho acadêmico - uma tese, dissertação, artigo científico - ou qualquer outro texto que requeira citações normatizadas, é importante cadastrar as referências do trabalho para depois gerar a listagem dos documentos consultados na pesquisa.As pessoas que redigem teses e dissertações ainda não sabem usar o Word. Pouco fazem com o programa, além do que fariam com uma máquina de escrever; assim, uma das tarefas mais penosas da redação acadêmica, o controle das citações e das referências, é feito - insistentemente - sem o uso das ferramentas do Office que facilitam esses serviços. Faça a referenciação pelo Word o tempo tod…

Elementos gráficos nas teses e dissertações: ilustrações, fotografias, desenhos, tabelas, diagramas

Gráficos e ilustrações integram as teses e dissertaçõesAs ilustrações que acompanham as teses ou dissertações devem estar seguidas de legenda, e deverão ser indexadas, ou lançadas em lista geral de ilustrações, como melhor convier. O revisor atentará aos textos das legendas e aos intertextos em que o elemento gráfico implicar. O formatador procurará a melhor situação espacial para os elementos na página, segundo as restrições que as normas impuserem.
Os cuidados a serem tomados se referem ao excesso – cabe ponderar sobre a necessidade da ilustração e sobre a informação que ela agrega ao texto; se não for realmente pertinente, é preferível descartar; no que se refere aos gráficos, fluxogramas e outros elementos ilustrativos criados para o trabalho, é bom verificar se possuem tamanho e cores adequadas – sóbrias – como convém ao texto científico; as cores que os programas mais usuais de planilha de cálculo usam automaticamente parecem bastante adequadas, não sendo preciso inventar muito.S…

Dicas para a entrevista na seleção para mestrado ou doutorado

A entrevista da seleção é crucial, prepare-se!A entrevista pode versar principalmente em três focos: a pessoa, a carreira acadêmica, o projeto de pesquisa. Provavelmente serão todos eles.A entrevista de seleção para ingresso na pós-graduação lato senso, mestrado ou doutorado, é um momento de tensão em que o candidato tem poucos minutos para se dar a conhecer e apresentar sua proposta de trabalho. Apresentamos uma lista de perguntas típicas e muitas dicas para respostas. Claro que pode ser que a banca não faça essas perguntas na entrevista – quanto mais candidatos houver, menos questões a serão apresentadas – e menos chance de impressionar bem você terá. Por isso, nós compilamos um painel deliberadamente amplo para ajudá-lo a preparar uma boa argumentação. Uma dica prévia: não cometa o erro de tentar memorizar suas respostas. A entrevista pode não se desenvolver como você imagina. Além disso, a banca procurará te desconcertar se ela sente que você está com respostas decoradas. Não deixe…