Pular para o conteúdo principal

Formato e numeração de páginas

Questões bastante simples, como o formato da mancha e a numeração das páginas de um trabalho acadêmico longo (tese ou dissertação) costumam suscitar dúvida.

Não há determinação precisa e unificada quanto ao formato da página, do texto e do pré-texto , manchas (parte impressa da folha) e margens; no entanto, passaram a ser usuais as seguintes características, com pequenas variações entre as instituições:
Tanto para qualquer TCC, quanto
para uma tese ou dissertação,
as normas de paginação são
sempre as mesmas.
a) papel alcalino branco, 75g/m2, formato A4 (210 X 297mm) mais comumente; em caso de impressão em frente e verso, prefira papl de 90c/m2.
b) margens de:
  • 3,5 cm na parte superior;
  • 2,5 cm na inferior;
  • 3,5 cm no lado esquerdo;
  • 2,5 cm no lado direito;
  • 1,7 cm no cabeçalho;
  • 1,7 cm no rodapé.
c) fonte para o texto: Times New Roman; Corpo: 12; Espaço: 2 no texto e 1,5 nas citações longas (mais de cinco linhas), ou
d) fonte para o texto: Arial; Corpo: 11; Espaço: 1,5 no texto e 1 nas citações longas (mais de cinco linhas);
e) fontes para os títulos e seções serão hierarquizadas segundo a necessidade, mantendo-se sempre a mesma fonte utilizada no texto, em tamanhos diferentes, e usando-se negritos e itálicos, segundo convier.
A numeração, sempre em algarismos arábicos, inicia-se agora a partir da folha de rosto, mas só aparece a partir da primeira página do texto  (página 1 = folha de rosto), os critérios não estão ainda uniformes, dependem de cada instituição e da interpretação que fazem das normas.
Para alguns, a numeração das páginas introdutórias ainda é contada a partir da folha de rosto e deve ser feita em algarismos romanos, colocados no canto superior direito, no cabeçalho de cada página – há quem prefira letras minúsculas, mas isso é absolutamente contrário ao procedimento romano clássico, portanto sem fundamento. Todavia, esse procedimento está em desuso. Nada mais de algarismos romanos!
Reforçando: as paginas introdutórias são contadas na numeração, mas não recebem números as folhas de rosto, as páginas pré-textuais e, em alguns casos, a primeira página do texto e as páginas que iniciam capítulo – o que não costuma ser seguido com muito rigor.
Para que o programa possa paginar de maneira diferente, ou iniciar a impressão de a partir de determinado ponto (… e 9, 10, 11 …), deve-se dividir o trabalho em seções diferentes.
Considerando que se deverão assumir diferentes formatações para as páginas, deve-se dividir o trabalho em pelo menos três seções: uma para capa e contra-capa, outra para o pré-texto e uma terceira para texto e pós-texto. Esses procedimentos requerem intimidade com a formatação eletrônica pelo Word ou a contratação de serviços profissionais.
Numeração decimal no sumário

  • Numeração progressiva

Consiste na divisão do trabalho em seções. Segundo a NBR 6024 da ABNT, não se deve subdividir em seções além da terciária, procedimento de que discordamos e não adotamos.

  • Seções primárias

Correspondem aos capítulos. Numeram-se as seções primárias com a série natural dos números inteiros, a partir de 1 (um), pela ordem de sua colocação no documento. O título dessa seção deve ser em negrito e somente a primeira letra da frase é maiúscula. Este último aspecto normalmente não é cumprido, por exigência dos autores ou das instituições, contrariando a norma.

No Word, basta o comando Crtl+Alt+1 e a frase está formatada como seção primária.

  • Seções secundárias e terciárias

São resultantes da divisão do texto dos capítulos. Numeram-se sequencialmente com a série natural dos números inteiros, a partir de 1 (um), pela ordem de sua colocação no respectivo capítulo.

No editor de textos, em geral basta o comando Crtl+Alt+2 e Crtl+Alt+3 e a frase está formatada como seção secundária ou terciária.

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela de preços de revisão de tese ou dissertação

Cálculo dos preços para revisão e formatação de textos acadêmicos. Tema espinhoso para o revisor e para os autores: taxas, preços, pagar por lauda, remuneração justa… Infelizmente, não existe preço padrão – como não existe serviço estandardizado, há excelentes revisores de textos na praça, e outros não tão bons; mas existem tendências que podem tornar-se prática e sobre as quais vamos comentar.
Assim como como em serviços de tradução, geralmente, o preço da revisão é calculado por lauda. Para alguns, este termo – lauda – indica um texto de 1200 a 2200 caracteres, como muitos editores, revisores, tradutores e agentes literários, nós entendemos por lauda um texto de 1500 caractere com espaços. Esse não é um número mágico, apenas é o que corresponde, aproximadamente, à página A4, com texto em corpo 12 e espaço 1,5. Assim, nossa lauda quase corresponde ao número de páginas do trabalho acadêmico usual. Mas muitos fatores interferem: quantidade de imagens, notas de rodapé, por exemplo. Com…

Elementos gráficos nas teses e dissertações: ilustrações, fotografias, desenhos, tabelas, diagramas

As ilustrações que acompanham as teses ou dissertações devem estar seguidas de legenda, e deverão ser indexadas, ou lançadas em lista geral de ilustrações, como melhor convier. O revisor atentará aos textos das legendas e aos intertextos em que o elemento gráfico implicar. O formatador procurará a melhor situação espacial para os elementos na página, segundo as restrições que as normas impuserem.
Dependendo do número delas e dos seus tipos, a numeração pode ser por cada tipo (Foto 1, Foto 2... Tabela 1, Tabela 2...) e também pode a numeração fazer referência ao capítulo em que o elemento gráfico foi inserido (Foto 2-1, Foto 2-2...); as alternativas ficam abertas à adequação de cada caso.
Várias são as possibilidades atuais de introdução de ilustrações no texto. A disposição das ilustrações pode se subordinar à sua natureza, ao texto ou à exigência de destino do trabalho, com amplas possibilidades.
Os cuidados a serem tomados se referem ao excesso – cabe ponderar sobre a necessidade da il…

Referências pela ABNT para Word

O Word faz para você o controle e a formatação das citações, por qualquer norma, inclusive as da ABNT. Aprenda a usar a ferramenta e simplifique sua vida na hora de fazer sua tese ou mesmo para um artigo a ser publicado. As pessoas que redigem teses e dissertações ainda não sabem usar o Word. Pouco fazem com o programa, além do que fariam com uma máquina de escrever; assim, uma das tarefas mais penosas da redação acadêmica, o controle das citações e das referências, é feito - insistentemente - sem o uso das ferramentas do Office que facilitam esses serviços. Uma importante Ferramenta do Microsoft Word é o seu Gerenciador de Fontes Bibliográficas. Para quem está escrevendo um trabalho acadêmico - uma tese, dissertação, artigo científico - ou qualquer outro texto que requeira citações normatizadas, é importante cadastrar as referências do trabalho para depois gerar a listagem dos documentos consultados na pesquisa. Sim, vou ser bem claro: o Word faz as referenciações das citações (dire…

Estrutura da tese de doutorado - ou da dissertação de mestrado

A estrutura sugerida de tese pode ser observada em outra tese; quem faz um doutorado há de ter lido várias teses e visto como deve ser, mas aqui se faz a abstração dessa estrutura. Trata-se de um modelo idealizado. Os elementos sugeridos abaixo são adequados para uma tese experimental ou teórica. Em alguns casos, um ou dois deles podem não ser aplicáveis. Verifique o que é adequado a seu caso. Claro que tudo isso serve também para a dissertação, mas em ponto menor.
Estas sugestões aqui são muito importantes: Faça uma lista para pontos do que serão alocados em cada capítulo. Tente fazer essa lista bastante detalhada, coloque pontos que correspondam às seções ou parágrafos da tese em redação. Não precisa colocar todos os pontos de primeira, a lista vai crescendo – à medida em que as ideias surgem – e diminuindo – quando os pontos listados, alcançados, forem sendo cortados. Nessa fase, pode ser difícil pensar a lógica de apresentação dentro dos capítulos, muitas vezes é possível apresen…

Referências no texto acadêmico

Antigamente, colocava-se ao fim de cada trabalho escrito uma bibliografia. Com advento de novas mídias, passou-se a usar o termo referências bibliográficas para a listagem de obras consultadas. Atualmente, a recomendação é usar apenas a expressão referências, pois elas pode ir bem além das obras livrescas. Mas ainda se deve se distinguir o que normalmente se confunde: Referências são o conjunto de indicações que possibilitam a identificação de documentos, publicações, no todo ou em parte. Referência: “‘Nota informativa de remissão’ (em publicação); ‘fonte de esclarecimento’ (para o leitor)” (AURÉLIO). Bibliografia é o conjunto de obras (livros) pesquisadas a que o leitor pode recorrer para aprofundamento sobre o assunto do trabalho. “Documento que apresenta lista de referências bibliográficas, usadas em ordem alfabética, relativas a um ou mais assuntos. Parte de uma obra na qual se listam as referências bibliográficas de obras recomendadas para leitura complementar” (AURÉLIO). Em geral…