Dissertação

Informações para a elaboração de uma dissertação de mestrado.

Vamos dar aqui mais atenção à fase de elaboração do texto, no entanto, apontamos alguns estágios de
A dissertação costuma ser a primeira
incursão do estudante na redação
de um texto longo; por isso ela tem
dificuldades específicas para o aluno.
pesquisa, redação de projeto, formatação e até a revisão, quando for útil para um entendimento completo.

O significado da dissertação de mestrado

Na realização da dissertação de mestrado, que constitui o ponto culminante dos estudos iniciais de pós-graduação em sentido estrito, o aluno é chamado a dar provas de capacidade de investigação, original ou subsidiária, para a disciplina. Embora possa sempre contar com o apoio dado pelo orientador, o aluno deve ser o primeiro focar seu objetivo, identificando o assunto da dissertação e depois atacá-lo, fazendo um trabalho completo e abrangente sobre este assunto através do uso de métodos de análise e síntese aprendido durante os estudos universitários de graduação.
A dissertação de mestrado envolve um trabalho de pesquisa sobre um assunto bem definido empírica ou teoricamente e resulta em uma contribuição com algum conteúdo novo ou nova abordagem de um conteúdo já conhecido.
Em uma dissertação de pesquisa, são particularmente encorajadas contribuições inovadoras ou originais que possuam caráter indutivo ou dedutivo. No primeiro caso, uma dissertação de mestrado pode ser, por exemplo, o levantamento de um fenômeno empírico inexplorado ou pouco discutido na literatura, oferecendo interpretação original dele para desenvolver generalizações teóricas que se relacionem com a literatura mais geral sobre o assunto. No segundo caso, pode ser uma dissertação de mestrado para dar exemplo e forma a uma análise fundamentada da literatura existente sobre um tema escolhido, apoiado por uma crítica pessoal que nasça da reformulação ou pela aplicação de um esquema inovador de análise, ou de nova evidência empírica sobre o assunto (estudos de caso, inquéritos por amostragem, uso de dados secundários, etc.) que sejam válidas e superem algumas das questões teóricas existentes.
Em ambos os casos, o trabalho de dissertação de mestrado pode incluir um esforço de coleta ou análise de materiais empíricos, quer se trate de tipo primário (desenvolvido por dados através de participação-observação, entrevistas, estudos de caso, questionário, pesquisas documentais primárias, etc.) ou secundária (fontes documentais secundárias, estudos do setor, dados macroeconómicos, arquivos empresariais, etc.).
A dissertação de mestrado é um compromisso a ser cumprido, atualmente, em dois ou três anos de estudos e investigação, a contar do ingresso no curso. Ela deve ser, de preferência, relacionada a um tema consistente com o currículo em que o aluno está matriculado, e circunscrita a uma das linhas de pesquisa adstritas. Para assegurar a estreita coerência entre o currículo especializado e o tema escolhido, a proposta de dissertação deve ser apresentada para aprovação por todos os estudantes, segundo as normas de cada programa.

O projeto de dissertação

Escrever uma dissertação de mestrado é atividade que envolve compromisso de um estudante em tempo integral, preferencialmente, e forte motivação para contribuir, com o trabalho de dissertação, na evolução dos conhecimentos no domínio do saber do campo escolhido. O mestrando deve, primeiro, ter forte interesse no contexto específico. O interesse deve ser traduzido em uma ideia promissora: um tema ou uma questão que, em algum aspecto, possa ser abordada de forma inovadora. Para desenvolver uma ideia, você pode usar dicas de terceiros e uma revisão da literatura, ou seja, do que os outros fizeram. Mesmo se você tem uma ideia, a análise de literatura deve ser realizada para garantir que essa ideia apresente elementos da originalidade e novidade.
A ideia deve ser devidamente preparada para se tornar um projeto: um documento de cinco a dez páginas em que aparecem:

  1. a literatura examinada previamente;
  2. os objetivos da dissertação, os motivos subjacentes para sua escolha e uma primeira formulação das questões de investigação a que eles vão responder;
  3. as ferramentas/métodos a serem usados para atingir os objetivos;
  4. um índice do argumento ou indicação do conteúdo do vários capítulos, bem como peças originais do trabalho;
  5. a bibliografia preliminar levantada para o projeto.
Uma vez preparado, o projeto deve ser discutido com o futuro orientador; depois de receber sua aprovação e, especialmente, seu conselho, é que se pode iniciar o trabalho de dissertação.

A organização da dissertação

A dissertação apresenta a seguinte estrutura geral básica:

  1. resumo;
  2. sumário;
  3. introdução;
  4. o corpo da dissertação;
  5. conclusões;
  6. referências;
  7. anexos e apêndices.

Resumo

Uma vez concluída a dissertação, você deve preparar um resumo, cerca de 500 palavras, a ser entregue com a dissertação, fará parte do volume apresentado. Este resumo deve ser vertido a, pelo menos, uma língua estrangeira, se possível o inglês, talvez a mais outra língua pertinente.
O resumo é importante, pois pode induzir curiosidade, capturando a atenção do leitor. O resumo conterá os objetivos do trabalho, suas condições e resultados. Dada sua brevidade, temos que dar prioridade aos resultados mais inovadoras ou importantes.

Sumário

O sumário da dissertação, redigido em forma provisória no início do trabalho; lá no princípio, ele é o esqueleto básico da ideia que vai evoluindo – ao fim, gerado automaticamente pelo editor de textos, vai indicar as páginas iniciais de cada tópico.

Introdução

A introdução deve conter os elementos fundamentais para compreender o trabalho, mesmo para quem não tem tempo para lê-lo inteiro. A introdução deve explicar claramente os objetivos e as razões para sua escolha, fornecendo algumas informações básicas sobre a literatura relevante, apresentando as ferramentas utilizadas (a metodologia) e partes essenciais da organização em capítulos.
A clareza dos objetivos do trabalho é essencial para assegurar a coerência, o rigor do método e a utilidade do material usado (teórico e empírico). Muitas vezes, sabe-se de dissertação contendo comentários de literatura ou descrições em grande parte não relativos ao tema central. Quem lê a introdução deve ser capaz de verificar rapidamente a real utilidade de cada parte ou capítulo em relação aos objetivos do trabalho.
Em muitos casos, para obter uma boa formulação dos objetivos é necessário definir com precisão as suposições (hipóteses) e o argumento disponível para comprovar a hipótese (no caso de estudos em caráter dedutivo) ou aplicativos para pesquisa exploratória (no caso de estudos de caráter indutivo). Embora as razões subjacentes a escolha de objetivos sejam, muitas vezes óbvias, pode ser útil mencionar a fim de compreender a origem do trabalho. Estas razões podem ser ligadas à falta de literatura abrangente sobre o assunto ou lacunas conceituais no aparato teórico em questão, ou podem depender de novos eventos institucionais ou econômicos (a crise de uma indústria, de uma empresa ou um distrito industrial, a introdução de uma nova lei, etc.) ou da importância assumida por um fenômeno empírico. Em resumo, a introdução constitui a primeira parte da dissertação e estende as informações contidas no sumério, com melhor leitura. Ela deve conter as informações logicamente e por ordem cronológica (quando couber. Ela consiste essencialmente os seguintes pontos:
  1. explicação sobre a natureza do problema considerado;
  2. descrição do conteúdo a ser encontrado na literatura sobre o assunto em questão, acompanhado de citações bibliográficas exaustivas;
  3. a finalidade do trabalho, os objetivos;
  4. indicação dos métodos adequados de solucionar o problema;
  5. lista esquemática do conteúdo dos capítulos subsequentes.

O corpo da dissertação

Mesmo a parte central da dissertação, inevitavelmente, terá uma estrutura que varia de acordo com o escopo de disciplinar e metodologia utilizada, bem como a abordagem de pesquisa indutiva ou dedutiva. Aqui há apenas algumas observações gerais.
Nos centrais capítulos que você vai:
Fazer a revisão da literatura (ou doutrina) relevantes. É absolutamente importante evitar a análise pormenorizada das contribuições apenas marginalmente relacionado ao tema da dissertação. Se você acredita que um determinado tópico merece maior aprofundamento, apesar de ser marginalizado para a dissertação, é melhor referir-se à literatura. Por exemplo: "sobre este tema há uma vasta literatura. Entre as principais contribuições incluem Santos (2003), Athayde (1998) e Legos (2014)";
traçar o modelo teórico ou esquema interpretativo no qual se baseia o trabalho;
apresentar o contexto empírico que você insere no trabalho;
submeter os instrumentos utilizados (metodologia de pesquisa);
apresentar e discutir os resultados.

As conclusões

As conclusões são parte integrante da dissertação, representam último capítulo ao culminar o trabalho realizado. Não se trata de outro resumo, mas do momento da verificação da estrutura argumentativa e da metodologia utilizada no processamento de dados e informações. Na verdade, se o trabalho está bem estruturado, ou seja, se as ideias em todos os níveis da dissertação representam uma síntese das etapas anteriores, a elaboração das conclusões será facilitada, porque é consequência imediata do trabalho já realizado.
As conclusões devem ser claras e concisas. Para serem eficazes, deve haver uma ordem, um processo lógico em que ideias são expostas. Você deverá mencionar os possíveis desenvolvimentos futuros de pesquisa e fornecer quaisquer indicações de limitações do estudo.
As conclusões devem ser harmonizadas com a introdução; você tem que dar justificativas e demonstração da posições alcançadas.

As notas e referências

As notas servem para identificar a fonte da qual uma informação procede ou para fornecer mais créditos, dados, citações e informações. Contribuem também para documentar a seriedade de uma pesquisa.
É importante colocá-las imediatamente no texto, para evitar esquecer ao longo do tempo, de onde foram tiradas as informações. No que se refere à sua localização, é altamente recomendável o posicionamento como notas de rodapé.
As notas de referência são objeto normas (ABNT, Vancouver, APA, ISO, Chicago... ) que tem características distintas, mas são todas processadas automaticamente até pelo editor de textos mais comum, o Word.

Figuras, gráficos e tabelas

O texto da dissertação, em geral, fica muito mais agradável se você usar figuras explicativas. As ilustrações podem ser de três tipos principais:
  1. gráficos, fluxogramas, infográficos, esquemas;
  2. tabelas, quatros;
  3. fotografias, desenhos, imagens.

É necessária uma legenda ou título do elemento gráfico. As figuras devem ser numeradas em ordem consecutiva e é possível que a numeração comece a partir de cada capítulo – caso sejam numerosas.
Gráficos são a elaboração de conjuntos de dados numéricos, saída de um programa ou de uma série de medições experimentais. É importante lembrar-se de indicar os nomes ou símbolos dos seguintes tamanhos, escalas e unidades de medida para diagramas e histogramas. Os caracteres utilizados para escrita, gráficos e desenhos devem ser legíveis, aproximadamente, do mesmo tamanho dos caracteres utilizados para o texto principal, ou pouco menores. Às vezes, pode ser necessário usar fotografias. Atualmente elas são todas digitais, mas cuidado com o formato da imagem inserida para não agigantar o arquivo.
As tabelas devem ser numeradas, mas com a mesma política: em vez da legenda deve ser colocado o título acima da tabela.
Figuras e tabelas devem ser chamadas pelo menos uma vez no texto e devem ser apresentadas o mais perto possível da chamada.
Sempre que for necessário o uso de figuras e/ou as tabelas originais de outras publicações (livros, artigos, dissertações), você deve citar a fonte (mesmo se figura ou tabela foi reformulada).

As referências

Durante a elaboração da dissertação serão consultados muitos volumes, embora sem lê-los todos da primeira à última linha. As referências devem conter de todas as obras utilizadas. Devem ser mencionadas as obras que foram consultadas na verdade, mesmo se eles aparecem em citações diretas ou indiretas: todo o material deve ter sido visto em primeira mão.

A elaboração da dissertação

A forma, na elaboração da dissertação, deveria ter menos importância do que o conteúdo – mas nem sempre isso ocorre. É necessário o respeito à gramática e sintaxe. Você deve usar construção impessoal, preferivelmente.
Também é desaconselhável o uso excessivo de citações no texto. Quando necessário, elas serão incorporadas no texto, colocando entre aspas. Para citações particularmente grandes (mais de 5 linhas) você deve blocar o texto (você viu como se faz isso em textos que leu). A omissão do texto original é indicada por reticências […]. Todas as citações diretas envolvem a obrigação de indicar o número de página da fonte, se possível.