Como escolher seu orientador?

Em muitos programas de doutorado e mesmo em alguns de mestrado, é necessário que o candidato seja aceito por um eventual orientador antes mesmo de ser aprovado na seleção.

Outros programas adiam essa necessidade para quando o aluno já tenha tido contato com alguns professores do programa. Antes de entrar em contato com um potencial orientador para sua tese ou dissertação, cuide de conhecer a pessoa e o profissional:
Há muitos percursos na hora de escolher quem vai orientar sua tese.
As opções são muitas na escolha de orientador,
mas o melhor é adotar critérios na escolha.
  • Primeiro faça sua pesquisa sobre a obra e o trabalho de orientação dos professores em que você possa ter interesse!
  • Tenha uma ideia da pesquisa de campo que interessa a você e um anteprojeto de tese ou dissertação exequível.
  • Certifique-se de que o professor que você considerar é um membro do programa em que você está inscrito ou pretendendo ingressar ou se o programa aceita orientadores externos, portanto, elegíveis para sua orientação.
  • Leia o perfil dos professores no site do instituto a que ele pertence e seu currículo Lattes e visite os sites da faculdade ou o programa que lhe interessa.
  • Compare suas áreas de interesse às dos potenciais supervisores.
  • Fale com professores que você conheça sobre seu campo de interesse e peça conselho sobre quem seria melhor capaz de orientar você.
  • Leia as publicações acadêmicas de seu potencial orientador para determinar se seu campo de pesquisa e seus métodos são coerentes com o assunto ou projeto que você está considerando. Leia também os trabalhos ou teses de estudantes que trabalharam sob sua direção.

Primeiro contado com o orientador

  • Envie uma carta ou um e-mail se apresentando ao eventual orientador. Se ele não responder à primeira, será que vai responder a outras no futuro, quando você necessitar mesmo elucidar alguma questão?
  • Saiba com clareza suas áreas de interesse e como elas correspondem com a pesquisa e a experiência do professor por quem você está interessado.
  • Incluir informações sobre sua formação acadêmica.
  • Nunca envie uma carta ou um eemail genérico, não é um caso de fazer uma circular para diversos “candidatos” a orientador!

Faça uma visita à instituição

  • Planeje uma visita à instituição e peça para conhecer potenciais orientadores; vá mais de uma vez: nem sempre eles estarão por lá, mas é necessário conhecer alguns.
  • Esteja bem preparado quando você for encontrar formalmente com um orientador potencial. Tenha à mão o máximo de informação possível sobre seu tema de trabalho. Faça uma lista de perguntas que quer fazer e os pontos que você gostaria de discutir durante sua entrevista com ele.
  • Peça para visitar o laboratório. Saiba mais sobre a pesquisa (laboratório e outras instalações) da infraestrutura de que dispõe o potencial orientador.
  • Conheça aluno(s) dele e os outros membros do laboratório sob a orientação de seu “candidato” potencial. Este processo é um aspecto importante da tomada de decisões no que diz respeito ao centro de pesquisa que combina com você: os outros orientandos dele serão seus colegas. Não se esqueça de se informar sobre o trabalho deles, pedir para ver dados – se possível, pedir-lhes para falar sobre seus projetos, interações no laboratório, etc.

Se você não pode ir a tais lugares

  • Peça uma entrevista por telefone.
  • Esteja bem preparado. Tenha à mão o máximo de informação possível sobre o seu tema de tese. Faça uma lista de perguntas que quer fazer e os pontos que você gostaria de discutir durante sua entrevista telefônica.
  • Saiba mais sobre as condições de pesquisa (laboratório e outras instalações) e da disponível para o orientador.
  • Considerar as dinâmicas de interação e traços de personalidade de ambos.

Após a reunião ou entrevista telefônica, pergunte-se:

• Quais seus interesses por este orientador? • Após a reunião, você acha que este professor tem uma abordagem (filosófica e teórica) bastante compatível para possível colaboração? Você pode se comunicar livremente com essa pessoa? • O laboratório combina com você? • Que tipo de apoio financeiro ou contratos estarão disponíveis? Alguns departamentos têm requisitos mínimos de financiamento.
• Você terá a oportunidade de participar em conferências, publicações? • Você concorda em como vai acontecer a sua colaboração em relação às expectativas de papéis e responsabilidades? • Como você pode encontrar com o orientador?
• Este professor orientador estará disponível durante toda a preparação e a redação da sua tese? É importante lembrar que a relação que você está prestes a começar é uma relação de reciprocidade e de média duração: alguns anos.
São Paulo: +55 (11) 3042-2403 Rio de Janeiro: +55 (21) 3942-2403 Belo Horizonte: +55 (31) 3889-2425
Brasília: +55 (61) 4042-2403 Porto Alegre: +55 (51) 4042-3889 Skype: keimelion
Atendemos em horário comercial.
Para solicitar orçamento, envie o texto.
Não elaboramos trabalhos de graduação ou pós. Não insista.