Formato e numeração de páginas

Questões bastante simples, como o formato da mancha e a numeração das páginas de um trabalho acadêmico longo (tese ou dissertação) costumam suscitar dúvida.

Não há determinação precisa e unificada quanto ao formato da página, do texto e do pré-texto , manchas (parte impressa da folha) e margens; no entanto, passaram a ser usuais as seguintes características, com pequenas variações entre as instituições:
Tanto para qualquer TCC, quanto
para uma tese ou dissertação,
as normas de paginação são
sempre as mesmas.
a) papel alcalino branco, 75g/m2, formato A4 (210 X 297mm) mais comumente; em caso de impressão em frente e verso, prefira papl de 90c/m2.
b) margens de:
  • 3,5 cm na parte superior;
  • 2,5 cm na inferior;
  • 3,5 cm no lado esquerdo;
  • 2,5 cm no lado direito;
  • 1,7 cm no cabeçalho;
  • 1,7 cm no rodapé.
c) fonte para o texto: Times New Roman; Corpo: 12; Espaço: 2 no texto e 1,5 nas citações longas (mais de cinco linhas), ou
d) fonte para o texto: Arial; Corpo: 11; Espaço: 1,5 no texto e 1 nas citações longas (mais de cinco linhas);
e) fontes para os títulos e seções serão hierarquizadas segundo a necessidade, mantendo-se sempre a mesma fonte utilizada no texto, em tamanhos diferentes, e usando-se negritos e itálicos, segundo convier.
A numeração, sempre em algarismos arábicos, inicia-se agora a partir da folha de rosto, mas só aparece a partir da primeira página do texto  (página 1 = folha de rosto), os critérios não estão ainda uniformes, dependem de cada instituição e da interpretação que fazem das normas.
Para alguns, a numeração das páginas introdutórias ainda é contada a partir da folha de rosto e deve ser feita em algarismos romanos, colocados no canto superior direito, no cabeçalho de cada página – há quem prefira letras minúsculas, mas isso é absolutamente contrário ao procedimento romano clássico, portanto sem fundamento. Todavia, esse procedimento está em desuso. Nada mais de algarismos romanos!
Reforçando: as paginas introdutórias são contadas na numeração, mas não recebem números as folhas de rosto, as páginas pré-textuais e, em alguns casos, a primeira página do texto e as páginas que iniciam capítulo – o que não costuma ser seguido com muito rigor.
Para que o programa possa paginar de maneira diferente, ou iniciar a impressão de a partir de determinado ponto (… e 9, 10, 11 …), deve-se dividir o trabalho em seções diferentes.
Considerando que se deverão assumir diferentes formatações para as páginas, deve-se dividir o trabalho em pelo menos três seções: uma para capa e contra-capa, outra para o pré-texto e uma terceira para texto e pós-texto. Esses procedimentos requerem intimidade com a formatação eletrônica pelo Word ou a contratação de serviços profissionais.
Numeração decimal no sumário

  • Numeração progressiva

Consiste na divisão do trabalho em seções. Segundo a NBR 6024 da ABNT, não se deve subdividir em seções além da terciária, procedimento de que discordamos e não adotamos.

  • Seções primárias

Correspondem aos capítulos. Numeram-se as seções primárias com a série natural dos números inteiros, a partir de 1 (um), pela ordem de sua colocação no documento. O título dessa seção deve ser em negrito e somente a primeira letra da frase é maiúscula. Este último aspecto normalmente não é cumprido, por exigência dos autores ou das instituições, contrariando a norma.

No Word, basta o comando Crtl+Alt+1 e a frase está formatada como seção primária.

  • Seções secundárias e terciárias

São resultantes da divisão do texto dos capítulos. Numeram-se sequencialmente com a série natural dos números inteiros, a partir de 1 (um), pela ordem de sua colocação no respectivo capítulo.

No editor de textos, em geral basta o comando Crtl+Alt+2 e Crtl+Alt+3 e a frase está formatada como seção secundária ou terciária.